O QECR

O Conselho da Europa

O Conselho da Europa é a mais antiga instituição europeia em funcionamento.  Fundada a 5 de Maio de 1949, tem a sua sede em Estrasburgo (França) e na atualidade conta com 47 países membros, todos os da Europa e algum da Ásia.

A Unidade de Política Linguística

O Conselho conta com uma Unidade de Política Linguística, que em 1957 organiza a primeira conferência intergovernamental sobre cooperação europeia no ensino de línguas, e em 1963 começa o primeiro projeto de importância.  Finalmente, depois de várias décadas de projetos, em 2001 chega a aprovação do Quadro Europeu Comum de Referência (QECR), o documento que torna-se fundamental para o ensino de línguas na Europa,  e que utiliza-se também em países extra-europeus.

O QECR

O QECR divide o ensino de línguas em três níveis, cada um com dois subníveis:

  • Nível A (Básico): Subníveis A1 (Inicial) e A2 (Básico)
  • Nível B (Intermédio): Subníveis B1 (Intermédio) e B2 (Independente)
  • Nível C (Avançado): Subníveis C1 (Eficaz) e C2 (Estruturado)

O documento que define o QECR é fácil de achar na rede em galego, espanhol, inglês e francês, mas em português somente o achamos sem os quatro apêndices.

O Portfólio Europeu de Idiomas

A Unidade de Política Linguística do Conselho de Europa define também o Portfólio Europeu de Idiomas, um documento criado para refletir o aprendizagem de idiomas e experiências culturais das pessoas, orientado à autoavaliação e não a acreditar oficialmente os conhecimentos.  Este portfólio compõe-se de três partes:

  1. A biografia linguística.
  2. O passaporte europeu de línguas.
  3. O dossier.

No seu sítio da teia de aranha de amplitude mundial há uma lista de diferentes modelos do documento, em diferentes idiomas e para diferentes idades:

  • Modelos acreditados 2000-2010 (accredited models 2000-2010).  Esta lista contem os nomes de 127 modelos.  Portugal tem três nomes, dos quais dois têm ligações, e Espanha oito nomes, dos quais cinco têm ligações.  Mas são ligações de brincar que não conduzem a sítio onde descarregar modelo nenhum.  Um modelo que tem ligação que sim permite descarrega-lo é o modelo Milestone, em inglês.
  • Modelos registados 2011+ (registered models 2011+).  Nesta lista há só seis nomes de modelos, dos quais só dois são para adultos, dos quais só um tem uma ligação que permite descarrega-lo: o American Culture Language Schools ELP Model for Adults, bilingue em inglês e turco.

Das três partes do Portfólio a mais interessante é a segunda, o passaporte europeu de línguas.  No passaporte, o QECR é a referência para registar tanto os conhecimentos auto-avaliados como as qualificações oficiais.

O Passaporte Europeu de Línguas

Além de fazer parte do Portfólio Europeu de Idiomas, o Passaporte Europeu de Línguas faz parte também de Europass, o documento eletrónico desenvolvido de maneira conjunta pelo Conselho de Europa e a União Europeia para a procura de emprego e mobilidade de todos os europeus.  Europass tem cinco partes, das que o passaporte de línguas é a segunda:

  1. Curriculum vitæ.
  2. Passaporte de línguas.
  3. Mobilidade.
  4. Suplemento ao Certificado.
  5. Suplemento ao Diploma.

No seu sítio da teia de aranha de amplitude mundial em 26 idiomas, Europass permite a qualquer europeu criar o seu próprio documento em linha.  Em particular para o CV e o passaporte de línguas, é possível também cria-los fora de linha, a partir de modelos em formato ODT ou DOC.  Além disso, o sítio oferece um documento com instruções e um documento de exemplo.  Vemos cá o documento de exemplo em português:

Passaporte de Línguas

Acreditação de competências em idiomas

Não existe atualmente nenhuma norma europeia que regule a acreditação de conhecimentos de idiomas.

  • No nível académico, os títulos com validez são os dos institutos de idiomas com prestígio, como o do Instituto Camões.  Vemos cá a lista dos títulos que reconhece o Centro de Línguas Modernas da Universidade de Santiago de Compostela.
  • No nível legal, os títulos com validez são aqueles estabelecidos pelas leis em cada país; portanto, o títulos do Instituto Camões são legalmente válidos apenas naqueles países cujas leis os reconhecem.  O caminho para reconhecer legalmente na Europa os títulos de idiomas dos diferentes países está ainda por fazer, e o primeiro passo é que os títulos estejam legalmente reconhecidos como oficiais no seu próprio país.

2 respostas a O QECR

  1. Pingback: Tudo sobre o Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas | Estudamos português

  2. Pingback: Tudo sobre o Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas… sim, outra vez | Estudamos português

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s